Bem-vindo(a). Hoje é Guarantã do Norte - MT



Associação dos Produtores de Soja e Milho de Mato Grosso (Aprosoja) apoia a campanha iniciada por setores da sociedade civil contra a taxação da energia solar. Tramita na Câmara Federal o Projeto de Lei 5829/2019, de autoria do deputado federal Silas Câmara (Republicanos/AM), além de diversas iniciativas sobre o tema no Congresso Nacional.


A taxação de energia solar produzida em propriedades rurais ganha destaque no setor de soja devido à oportunidade de geração de energia limpa no meio rural, seja para consumo residencial ou para o funcionamento de silos e equipamentos.


De acordo com o presidente da Aprosoja, Fernando Cadore, centenas de produtores sofrem com o fornecimento de energia elétrica no meio rural e acabam tendo sua produtividade comprometida. “É preciso investimentos em microgeração de energia solar para que o homem do campo possa garantir sua produção sem interrupção, além da obtenção de energia limpa no meio rural. Necessitamos de apoio e incentivos ao setor, não de taxações que poderão impedir ou desestimular o produtor rural”, declarou.


Diversas instituições já demonstraram preocupação ao presidente da República, Jair Bolsonaro, e aos presidentes da Câmara, Arthur Lira, e do Senado, Renato Pacheco, diante de uma eventual aprovação de propostas desta natureza e da necessidade de estimular micro geradoras no meio rural.

Por Rosangela Milles

Marcadores:

Postar um comentário

Comentários são de responsabilidade se seus autores

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.