Bem-vindo(a). Hoje é Guarantã do Norte - MT

Entidades mostram como a pecuária tem dado suporte a nutrição global durante a pandemia do Covid-19.
Ascom/Acrimat
Mais de 40 entidades internacionais representativas da pecuária divulgaram comunicado onde chamam a atenção para a importância da pecuária no fornecimento de um alimento seguro e acessível para a população mundial, em tempos de pandemia do Covid-19. Produtores, exportadores e entidades governamentais e empresariais de todo o mundo, que representam mais de 75% da produção global de carnes, incluindo a Associação dos Criadores de Mato Grosso (Acrimat), assinaram o documento.
Na carta, é informado que a crise do coronavírus trouxe à tona o desafio que nosso mundo enfrenta na área da saúde pública. “Em nenhum outro lugar este desafio tem sido mais aparente do que no setor de produção de alimentos. Nutrir o mundo durante a crise é uma prioridade máxima entre as nações”.
Em seguida, é destacado que ‘o mundo precisa da contribuição da pecuária’. “Globalmente, 1.3 bilhão de pessoas trabalham na atividade pecuária, enquanto outros bilhões contam com a pecuária para levar comida para suas famílias”. 
A agricultura animal fornece leite, carne, peixe e ovos num momento que o acesso a comida segura, nutritiva e acessível é necessária para afastar uma potencial crise de fome mundial, e oferece inestimável suporte para fazendeiros que enfrentam graves problemas econômicos.
“A origem do Covid-19 continua sob investigação, mas pesquisas que estão sendo feitas continuam a confirmar que a produção pecuária é segura, e não tem nenhuma relação na disseminação da coronavírus”, confirmam os signatários da carta.
Adianta, destacam que evidências apontam para uma infecção transmitida de animais selvagens para humanos, alinhada a pesquisas que mostram que a maioria das zoonoses tem origem na vida selvagem.

“Entretanto, algumas pessoas, governos e órgãos tem feitos alegações infundadas que a pecuária e a agricultura moderna são, de alguma forma, a fonte da pandemia. Isso ameaça atrapalhar uma resposta a saúde pública global num momento que a agricultura animal pode oferecer lições para tratar zoonoses da vida selvagem, como parte de uma preparação a longo prazo para a pandemia”, informa o comunicado.

A Acrimat explica, por meio de exemplo, que as doenças pecuárias são monitoradas num nível mundial com vistas a prevenir que elas se espalhem além das fronteiras, do modo que a Covid-19 tem feito. Avanços tecnológicos implementados nas fazendas, novas práticas que facilitam essa implementação, nutrição animal, diagnósticos veterinários e medicina mostram que zoonoses, como a febre aftosa, são bem gerenciadas na maioria dos países. “Usar esse aprendizado para desenvolver sistemas de alerta precoce mais robustos para a vida selvagem pode aumentar nossa habilidade em detectar doenças que possam surgir”.
Fundamentalmente, a produção pecuária é um sistema regulado e monitorado, que tem no cerne do seu trabalho a preocupação com a segurança alimentar e a saúde pública. “Mesmo que diante de desafios sem precedentes, fazendas e produtores de alimento estão tomando todas as precauções possíveis para manter os trabalhadores o mais seguro possível, ressaltando o quão essencial para a cadeia são suas funções, enquanto pecuaristas continuam a contar com biossegurança, higiene, vacinação e outras ferramentas para o controle de zoonoses”, conclui.
Informar é preciso  
As instituições internacionais ressaltam a importância de informar com responsabilidade à população sobre os benefícios da pecuária, solicitando que todos os envolvidos na cadeia se baseiem em dados sérios, que tenham como fonte profissionais da área que tem conhecimento para falar sobre a atividade pecuária. “O conhecimento e a expertise do setor pecuário pode ajudar a fortalecer a resposta ao Covid-19, e enfrentar o crescente risco de insegurança alimentar”.
Apoio
Outro ponto abordado pelas entidades é a necessidade de buscar apoio junto aos governos, associações representativas e organizações não governamentais para reafirmar, sempre que preciso, a eficácia da segurança dos produtos da atividade pecuária e lembrar os consumidores do nosso rigoroso sistema de segurança alimentar, incluindo o importantíssimo papel dos veterinários e da nutrição animal.
“Devemos ainda esclarecer informações inverídicas que tentam fazer uma ligação entre a pecuária e a transmissão da Covid-19, além de mostrar como pecuaristas e a valiosa cadeia por trás da pecuária tem trabalhado incansavelmente para garantir que todos tenham alimentos seguros e a preços acessíveis”.
Marcadores:

Postar um comentário

Comentários são de responsabilidade se seus autores

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.