Bem-vindo(a). Hoje é Guarantã do Norte - MT

A Polícia Civil investiga o advogado Bruno Zardo Bueno e o estagiário dele, Rafael Farias Francisco, presos, quarta-feira à tarde, em Matupá (209 quilômetros de Sinop) por intimidar testemunhas, esconder e forjar provas do furto do avião Cessna Aircraft 182, mês passado. O tenente da Polícia Militar, Wagner Coletti Duarte, que também foi preso, por ordem judicial, é investigado por suposto envolvimento no crime.
Consta no inquérito que Só Notícias teve acesso que o piloto Luan Felipe Santos Noleto – primeiro preso acusado do furto – compareceu na delegacia acompanhando do advogado Bruno Zardo Bueno confessando o crime e indicando o envolvimento de Luiz Augusto Gimenez Pommer, que também foi preso e ficou em silêncio durante depoimento. O terceiro suspeito, Rafael Farias Francisco, foi interrogado no dia 14 deste mês e os policiais identificaram que ele trabalha no escritório do advogado Zardo.
Nas investigações, a Polícia Civil também ouviu um cabo da PM, que apresentou provas que o tenente Wagner Coletti Duarte havia feito ‘convite’ para participar do furto do avião na presença do advogado Bruno Zardo e do piloto Luan Felipe, em um encontro entre eles, no município de Nova Santa Helena. O policial também teria apresentado também ‘prints’ de conversas realizadas entre ele e o tenente pelo aplicativo Whatsapp.
Outro lado
Procurado por Só Notícias, o advogado que defende Bruno Zardo e Rafael Farias, informou que ainda não teve acesso ao processo, que segue em segredo de justiça. Por isso, está impedido de fazer manifestações ou qualquer tipo de declaração.
O advogado Sílvio Eduardo Polidorio informou que já conseguiu a liberdade de Luiz Augusto por conta da não conversão da prisão temporária para preventiva. “O magistrado indeferiu o pedido da delegada, que conduz as investigações. O juiz Evandro Juarez Rodrigues acatou nosso pedido. Por conta disso, ele está em casa cumprindo medidas cautelares. Em relação ao Luan, nossa contratação ocorreu na semana passada. O processo foi sub estabelecido. O primeiro procedimento foi ingressar com habeas corpus e agora estamos aguardando análise e julgamento. Por não ter tido acesso na íntegra das acusações, ficamos impossibilitados de fazer qualquer posicionamento”.
Só Notícias não conseguiu contato com a defesa do tenente da PM, Wagner Coletti Duarte.
O presidente da subseção da Ordem dos Advogados do Brasil em Peixoto de Azevedo, Marcus Augusto Giraldi Macedo, informou anteriormente que acompanhou toda ação policial, que resultou nas prisões. “Todas as garantias dele foram preservadas. Também estamos comunicando o Tribunal de Ética e Disciplina da OAB para ter conhecimento e tomar as providências necessárias” e “a subseção acompanhará todo desenrolar do caso”.
A aeronave foi furtada do aeroporto de Matupá no dia 21 de abril (feriado). Os criminosos estouraram o cadeado com a corrente que estava na hélice e também furtaram mais de 3 mil litros de querosene do posto de abastecimento. Na fuga, o avião acabou caindo e a localização foi feita por policias com apoio do helicóptero do Centro Integrado de Operações Aéreas (Ciopaer) de Sorriso no dia 24 passado, em mata entre os municípios de Terra Nova do Norte e Nova Guarita (156 e 200 quilômetros de Sinop, respectivamente). A aeronave ficou muito danificada. Não houve vítima fatal na queda e os ocupantes fugiram.
Só Notícias/Cleber Romero (foto: divulgação)
Marcadores:

Postar um comentário

Comentários são de responsabilidade se seus autores

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.