Bem-vindo(a). Hoje é Guarantã do Norte - MT

A produção será de 10 mil litros de álcool líquido e em gel
Soraya Medeiros Seciteci
Técnica da ETE de Alta Floresta ajuda na fabricação de água destilada
Diante da falta do álcool 70% líquido e em gel, nos estabelecimentos em Alta Floresta, foi firmada uma parceria entre a Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação (Seciteci), por meio da Escola Técnica de Alta Floresta, com o Instituto Federal de Mato Grosso (IFMT) e a Universidade Estadual de Mato Grosso (Unemat) para a produção de 10 mil litros de álcool para prevenção da COVID-19.
Segundo o diretor da ETE de Alta Floresta, Lauriano Barella, a ação tem como objetivo produzir álcool 70% liquido e em gel para abastecer os hospitais e unidades do Sistema Único de Saúde (SUS), além dos órgãos públicos.  
“Fizemos a parceria com essas instituições porque sabemos da dificuldade em encontrar o produto no mercado. A pandemia provocou uma imensa procura pelo álcool em gel, ao ponto de o produto não ser mais encontrado com facilidade nas prateleiras do comércio, em todo o país”, afirmou o diretor.
A professora de Química do IFMT, Taís da Silva Rosa informa que a produção do álcool irá começar a partir desta quinta-feira (02.04). “Neste primeiro momento iremos começar a fazer o álcool 70% líquido, por conta da inviabilidade do mercado em fornecer os reagentes para a produção do álcool em gel. O carbopol, um dos ingredientes essenciais ao álcool em gel, está em falta no país. Com isso, os professores estão fazendo testes para utilizar outros insumos na produção do item”.   
Lauriano aproveitou para agradecer a parceria com o IFMT e Unemat, destacando a importância da união para a superação de momentos de crise como está que o Brasil e o Mundo estão vivendo. Ele lembrou a relevância do trabalho científico para o desenvolvimento da sociedade.  “Essa é uma bela iniciativa que enobrece as instituições de educação e deixa claro o nosso papel social”, afirmou.
O diretor do IFMT de Alta Floresta, Júlio César dos Santos, disse que esse projeto só está acontecendo porque o Ministério da Educação (MEC) aprovou o projeto do Instituto, liberando os recursos financeiros para a fabricação dos produtos com a duração será de 120 dias, no campus de Alta Floresta e Rondonópolis. “Graças ao empenho dos professores em escrever esse projeto no MEC, ele foi aprovado. Com isso, estamos começando hoje a produção do álcool líquido e em gel, onde está envolvendo uma equipe multidisciplinar de professores e técnicos”.
Segurança no processo é uma preocupação da instituição. “Todo o processo é feito com cuidado em um ambiente preparado, com os equipamentos próprios para confirmar a diluição em 70%, que garante a eficácia bactericida necessária. Portanto, a manipulação destes produtos não deve ser feita em casa por quem não tem conhecimento sobre o processo químico”, alerta a professora.
Tais finaliza agradecendo a parceria também com a empresa Pampas, a Prefeitura Municipal de Paranaíta e o Hospital Regional de Alta Floresta. “Quero agradecer a todos os parceiros que estão trabalhando juntos neste projeto, pois sabemos que a união neste momento é a melhor escolha”.
Marcadores:

Postar um comentário

Comentários são de responsabilidade se seus autores

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.