Bem-vindo(a). Hoje é Guarantã do Norte - MT

Prefeita de Paris também recebeu fortes críticas locais
Por Folha do Brasil

Na tarde desta segunda-feira (02), ao receber o título de cidadão honorário de Paris Lula afirmou que seu objetivo quando resolveu se entregar para a Polícia Federal em 2018 era para provar que Sérgio Moro, o Ministério Público Federal e a PF eram mentirosos. No instante em que citou pejorativamente Moro, Lula levou vaias e perdeu ligeiramente o rumo de sua fala.


“…. tomei a decisão de me entregar. Eu poderia não ter sido preso, poderia ter ido para uma embaixada, mas mesmo com mais de 70 anos, decidi ir até a Polícia Federal … alguém tinha que provar que o juiz Moro era criminoso …”

A maioria de esquerda na plateia não evitou que ao criticar Sérgio Moro, Lula fosse vaiado. Muitos não entenderam como um condenado em várias instâncias tem a autorização do STF para fazer tour pela Europa, e por onde passa, ainda denegrir a imagem do Brasil e suas autoridades.


Prefeita de Paris foi criticada
Segundo a Rádio França Internacional, vários políticos franceses, principalmente de centro e de direita, criticaram a cerimônia organizada nesta segunda-feira (2) em homenagem ao ex-presidente brasileiro, Luiz Inácio Lula da Silva, que recebeu o título de Cidadão Honorário da prefeitura de Paris. Eles contestam o fato de que a prefeita da capital, que tenta se reeleger este mês, estaria usando a presença do líder petista para sua campanha.


A cerimônia oficial, que aconteceu no final da tarde na prefeitura de Paris, foi seguida de um comício de campanha de Anne Hidalgo, com a participação de Lula. E foi justamente o fato de ter recebido o líder petista em dois eventos distintos que irritou vereadores, principalmente do partido centrista (UDI) e da legenda de Emmanuel Macron (LREM).



“A senhora recebe hoje, como prefeita de Paris, o ex-presidente brasileiro Luiz Inácio Lula da Silva para entregar, nos salões do Hôtel de Ville (sede da prefeitura) o título de Cidadão Honorário da cidade”, escreveram em uma carta coletiva alguns conselheiros da prefeitura (cargo equivalente ao de vereador), entre eles Marie-Laure Harel, do LREM, Eric Azière, da UDI, e Olga Johnson, do movimento Radical (de esquerda).
No entanto, continuaram, “após essa cerimônia oficial, na qual a senhora atua na função de prefeita de Paris, haverá um comício na mesma noite no Teatro de Gymnase, que terá como convidado de honra o ex-presidente Lula, e no qual a senhora atuará como candidata”.


“Essa mistura de gêneros (…) nos leva a nos questionar quanto ao bom uso dos meios [finaceiros] da cidade”, escrevem os conselheiros, que pedem que a prefeita fique atenta a “toda a transparência necessária sobre a organização e a promoção desse evento”.


A homenagem a Lula, que também contou com a presença da ex-presidente Dilma Rousseff e do ex-ministro da Educação Fernando Haddad, aconteceu a menos de quinze dias do primeiro turno da eleição municipal francesa, na qual Hildago é a principal candidata.


Marcadores:

Postar um comentário

Comentários são de responsabilidade se seus autores

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.