Bem-vindo(a). Hoje é Guarantã do Norte - MT

Uma possível eleição suplementar para o cargo de senador da república em Mato Grosso, numa possível cassação definitiva do mandato da atual ocupante de uma das duas vagas do Estado, a juíza aposentada Selma Arruda (PSL), continua movimentando, a todo vapor,  as discussões e articulações nos bastidores políticos locais. Depois de o governador Mauro Mendes (DEM) admitir que pode apoiar uma candidatura do ex-vice-governador Carlos Fávaro (PSD), o senador Welinton Fagundes (PR) disse,  nessa terça-feira (23), que vai esperar a conclusão da fase de recursos e o anúncio final da Justiça, para se manifestar e até posicionar o partido diante de um possível novo cenário. “Por enquanto é prematuro”.
Divulgação
bezerra versus barbudo

Ao HiperNotícias o presidente do MDB  de Mato Grosso, Carlos Bezerra, não quis, ainda, garantir apoio a Fávaro e comentou a possibilidade de o próprio PSL lançar um candidato à vaga de Arruda. É que o deputado federal Nelson Barbudo, presidente da sigla social liberal no Estado, já adiantou que, se ocorrer a cassação definitiva, a legenda terá candidato numa eleição suplementar. O próprio Barbudo já disse, antes até da cassação pelo TRE-MT, que ele disputaria a vaga, em última análise.
“É bom que ele seja [ candidato], é bom pra testar se ele tem os votos que ele teve na última eleição. Não sei se ele teria”, ironizou Carlos Bezerra.
Os dois parlamentares andaram se desentendendo recentemente, durante reunião da bancada, em Brasília, quando a pauta eram as discussões sobre a “distribuição” dos cargos dos órgãos federais existentes em Mato Grosso, como Incra e Funasa. O Incra, pelo consenso interno na bancada ficou para a indicação do PSL. A Funasa teria ficado para a indicação do MDB, mas Bezerra não teria aceitado, pois “queria mais espaço”, conforme reportou o HiperNotícias na ocasião.
“Eu dispensei os cargos de Mato Grosso. Não quero indicar ninguém, pra nenhum cargo. Eu não faço política com indicação de cargos, faço política de outro modo, minha prática é outra, cargo é menos importante pra mim”, observou Bezerra.
Ele ainda alfinetou o colega de bancada, dizendo que esse tipo de discussão e exigência “é para marinheiro de primeira viagem, para noviço na política, que não entende das coisas e acha que cargo é importante, pois importante mesmo é a posição política”, explicou o presidente do MDB.
Barbudo tem enfatizado que acredita na absolvição de Selma Arruda e que estará com ela “enquanto houver um sopro de vida”. Contudo, caso não haja “salvação” para o mandato da colega, o partido se reunirá para definir um nome para disputar uma possível eleição suplementar no Estado.
Nas eleições de 2018, Nelson Barbudo  foi o campeão de votos à Câmara Federal, em Mato Grosso, com 126.249 votos, ou 8,52% dos votos válidos.
Carlos Bezerra, por sua vez, ficou em  5º, entre os oito eleitos, com 59.155 votos, o que equivale a 3,99%.
Por PAULO COELHO
Marcadores:

Postar um comentário

Comentários são de responsabilidade se seus autores

Formulário de contato

Nome

E-mail *

Mensagem *

Tecnologia do Blogger.