Publicidade 1
Publicidade 1

Santos 1 x 1 Corinthians - Com apagão e gol no fim, Peixe empata e classifica

Com gol de Diogo Vitor no fim, o Santos evitou a derrota no clássico para avançar com duas rodadas de antecedência.


Por Agência Estado
São Paulo, SP, 04 - Com direito a mais um apagão no Pacaembu, a folclórica "lei do ex" e um gol nos minutos finais, Corinthians Santos fizeram uma grande partida e empataram por 1 a 1, neste domingo à noite, pelo Campeonato Paulista. O resultado foi justo, mas acabou deixando um gosto amargo para os corintianos, que venciam a partida até os 41 minutos. Entretanto, os jogadores do times da casa lutaram até o fim de conseguiram evitar a derrota.
O retrospecto de Fábio Carille em clássicos desde que assumiu o clube se mantém muito bom, apesar do empate. Foram 14 jogos, sendo nove vitórias, quatro empates e apenas uma derrota. Já o Santos consegue respirar um pouco mais aliviado após perder para o Real Garcilaso, em sua estreia na Libertadores.
O gol corintiano saiu justamente do volante Renê Júnior. No futebol, dentre tantas leis e regras que não existem explicações lógicas, uma delas é que existe uma tal "lei do ex" em que um jogador, quando enfrenta um clube que defendeu, sempre vai marcar um gol. Evidentemente, essa folclórica regra não se aplica na maioria das vezes, mas, neste domingo, aconteceu. Renê Júnior passou pelo Santos em 2013 sem deixar muitas saudades e, quando saiu do clube, deu entrevistas na época admitindo que ia embora triste, por ter sido um dos responsabilizados pela temporada ruim do clube.
Foi um clássico bem diferente no Pacaembu, principalmente para os corintianos, que por tantos anos chamaram o estádio municipal de sua casa e, mesmo com a chegada da sua arena, ainda mantêm um carinho pelo local onde tantas alegrias tiveram. Neste domingo, o "dono da casa" foi o visitante diante de quem espera fazer com que a cada dia o tradicional palco do futebol paulista se torne a sua segunda casa. Os santistas presentes fizeram muito barulho e apoiaram a equipe até o fim, mas isso não adiantou diante de um rival que parece não se abalar ao enfrentar seus maiores adversários.
Santos empatou com Diogo Vitor no fim (Foto: Ivan Storti/Santos FC)
Santos empatou com Diogo Vitor no fim (Foto: Ivan Storti/Santos FC)
Jair Ventura resolveu promover duas importantes mexidas no time que deveriam surpreender o Corinthians, mas elas não surtiram o efeito esperado. Ele colocou o Léo Citadini no lugar do experiente Renato, que não vinha bem nos últimos jogos. Mas o garoto parece ter sentido a importância do jogo. Outra alteração foi a entrada do novo candidato a estrela do clube, o menino Rodrygo, de apenas 17 anos, na vaga de Gabriel Barbosa, suspenso.
TIMÃO NA FRENTE
As duas equipes iniciaram o jogo ligadas nos 220 volts, nem pareciam que haviam jogado no meio da semana pela Libertadores e que tiveram que encarar os efeitos da altitude nestes confrontos. O ímpeto, entretanto, durou cerca de 15 minutos, quando os times passaram a deixar mais clara suas propostas para superar o rival.
O Corinthians, no primeiro tempo, voltou a demonstrar aquele estilo, até certo ponto, traiçoeiro. A equipe de Fábio Carille parecia recuada, com receio de ser pressionada pelo adversário, mas, quando percebia que os santistas tinham dificuldades para sair do campo de defesa, sufocava a marcação e foi assim que quase abriu o placar em pelo menos duas boas oportunidades, antes de conseguir, de fato, balançar as redes. No segundo tempo, o time caiu de rendimento e não conseguiu superar a pressão do rival.
O curioso é que o gol saiu justamente de um lance que se desenhava como despretensioso. Aos 20, o volante Renê Júnior arriscou de fora da área um chute forte, mas que parecia ser de fácil defesa para um goleiro do nível de Vanderlei. Entretanto, no meio do caminho, a bola desviou em Léo Citadini, afundando ainda mais a péssima atuação do garoto e consagrando o volante corintiano contra seu ex-time, de onde saiu sem deixar saudades.
Foi após o gol que o Santos percebeu que tentar chegar ao gol de Cássio pelo toque de bola e com Vecchio armando o jogo, seria algo difícil. Assim, passou a apostar nos lançamentos para Copete, Rodrygo e Sasha, que pegavam a bola nas pontas e cruzava para a área, mesmo sem ter ninguém para concluir, facilitando a vida dos corintianos.
Quando a bola caía nos pés do time visitante, o ritmo de jogo era outro. Rodriguinho e Jadson parecem cada dia mais entrosados e criaram diversas boas jogadas, através de tabelas e achando Clayson pelas beiradas, que chegou com liberdade nas costas de Daniel Guedes.
VOLTA AGITADA
No segundo tempo, Jair Ventura tirou Copete e colocou Arthur Gomes, dando uma nova dinâmica ao time. O volume de jogo do Santos cresceu, os novos "donos da casa" pressionaram na busca pelo empate e tiveram boas oportunidades com Alison e Vecchio, mas não conseguiram superar Cássio. Com o passar do tempo e as mudanças nos dois times, o jogo voltou a ser mais equilibrado e o relógio passou a jogar contra os ansiosos santistas.
Até que, aos 21 minutos, as luzes do Pacaembu se apagaram, repetindo o que vem se tornando uma rotina em jogos no estádio municipal. Já foram oito partidas só neste ano. Coincidentemente, o prefeito de São Paulo, João Doria, estava no local para acompanhar o clássico, já que é torcedor santista. Segundo informação da Prefeitura, um problema envolvendo a caixa primária de luz do estádio fez com que a eletricidade não chegasse aos refletores.
LUZ E GOL
Após 48 minutos, o jogo foi reiniciado e Santos voltou parecendo estar com o fôlego renovado e passou a pressionar mais ainda, mas sem conseguir finalizar com qualidade. Ansiosos, os jovens santistas erravam o último passe antes da finalização e faziam com que o sufoco não tivesse um resultado esperado. Pelo contrário, o Corinthians foi quem teve uma grande oportunidade com Jadson, que tirou de Vanderlei e bateu firme, mas Daniel Guedes salvou em cima da linha. Em seguida, Rodriguinho pegou rebote de escanteio, encheu o pé e Vanderlei praticar uma grande defesa, para evitar o segundo gol.
Mas os minutos finais reservaram emoção. Aos 32 minutos, Diogo Vitor entrou no lugar de Rodrygo. Aos 41, o garoto aproveitou rebote do goleiro Cássio, encheu o pé e garantiu o empate, para a alegria dos santistas, que lotaram o Pacaembu e fizeram uma grande festa do início ao fim do jogo e foram coroados com o gol nos minutos finais. A vitória não aconteceu, mas os mandantes deixaram o estádio mais eufóricos pela forma com que o time se portou diante dos corintianos.
Compartilhar no Google Plus
    Comentar com o Site
    Comentar com o Facebook

0 comentários :

Postar um comentário

Comentários são de responsabilidade se seus autores

Copyright © Roteiro Notícias - Guarantã do Norte e Região
Rua Natal, 550 – Jardim Vitória – Guarantã do Norte - MT
Email: celioroteiro2009@hotmail.com - Fone: (66) 9604 - 2681
Todo material deste site pode ser reproduzido ou editado desde que citada a fonte: Roteiro Notícias
WEBSITE DESENVOLVIDO POR:

Tenha um site!