Publicidade 1
Publicidade 1

Professores, bancários, motoristas e médicos vão parar em greve geral no Estado

Resultado de imagem para Professores, bancários, motoristas e médicos vão parar em greve geral no Estado
Professores do ensino público nas redes estadual e municipal, além dos universitários, assim como bancários de Mato Grosso vão cruzar os braços nesta sexta-feira em greve geral nacional. Neste dia estão previstos protestos pelo país contra Reforma da Previdência, Reforma Trabalhista, o presidente Michel Temer (PMDB) e cobrando eleições diretas. Na capital, motoristas de coletivos vão atuar parcialmente, assim como médicos. Somente a metade da frota de coletivos vai rodar. 

A categoria entendeu que, fazendo assim, pode sinalizar que está insatisfeita, sem deixar a população totalmente desguarnecida. Na área da saúde, unidades de atendimento da atenção básica e ambulatórios de especialidades vão fechar. A informação é a de que consultas marcadas para esta data serão reagendadas. 

Mas as unidades de urgência e emergência, como UPAs, policlínicas e Pronto Socorro funcionam em 100%. Funcionários dos Correios, através do sindicato da classe, também informam que não vão trabalhar, assim como os servidores do Detran. 

A direção dos Correios não quis se manifestar sobre a posição da empresa, se vai ou não abrir agências. Estas são algumas das categorias que vão aderir à greve. Em Cuiabá, a concentração está convocada pelas centrais sindicais para as 15h, na praça Ipiranga. A última manifestação como esta foi feita em 28 de abril, ou seja, há dois meses. 

O presidente da Central Única dos Trabalhadores (CUT), João Dourado, estima que este protesto seja tão expressivo como o do dia 28 de junho, há 2 meses, quando a mesma praça aglomerou cerca de 10 mil manifestantes. Segundo ele, embora todas as centrais estejam articuladas, “este ato não é de A ou B, mas de quem estiver insatisfeito com os rumos do país”. 

Na praça Ipiranga, será estacionado carro de som para falatórios políticos e shows com artistas locais. Também confirmaram presença no ato o MST, movimento estudantil e a Frente Brasil Popular. O diretor do Sindicato dos Bancários de Mato Grosso, José Guerra ressalta que a classe está assustada principalmente com as demissões e deve ir ao protesto. Já a presidente do Sindicato dos Médicos (Sindimed), Eliana Siqueira, destaca que as duas reformas, tanto a trabalhista quanto a previdenciária, afetam a saúde geral dos brasileiros e este é um dos motivos da adesão.
Por Gazeta Digital (foto: Só Notícias/arquivo)
Compartilhar no Google Plus
    Comentar com o Site
    Comentar com o Facebook

0 comentários :

Postar um comentário

Comentários são de responsabilidade se seus autores

Copyright © Roteiro Notícias - Guarantã do Norte e Região
Rua Natal, 550 – Jardim Vitória – Guarantã do Norte - MT
Email: celioroteiro2009@hotmail.com - Fone: (66) 9604 - 2681
Todo material deste site pode ser reproduzido ou editado desde que citada a fonte: Roteiro Notícias
WEBSITE DESENVOLVIDO POR:

Tenha um site!