Publicidade 1
Publicidade 1

Vacinação contra a febre aftosa alcança 99,59% do rebanho bovino de Mato Grosso

Com o maior rebanho da história de Mato Grosso (29,25 milhões de cabeças), 99,59% dos bovinos e bubalinos de todas as idades foram vacinados na campanha contra a febre aftosa de novembro de 2015. O resultado foi apresentado nesta sexta-feira (15/01) pelo Instituto de Defesa Agropecuária do Estado de Mato Grosso (Indea-MT) e o Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento (Mapa) e contou com a participação de representantes da área técnica da Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grosso (Famato).

Como todos os anos, os órgãos contaram com a parceria da Famato, assim como das entidades Acrimat, Acrismat, Sindifrigo, Fabov, Ovinomat e o Fesa. “A Famato e o produtor rural mato-grossense estão cientes de seus deveres de contribuir para que Mato Grosso continue sendo reconhecido como livre da febre aftosa com vacinação. Todos os anos mais de 99% do rebanho é imunizado e isso mostra que nossos produtores estão cada vez mais conscientes da importância da prevenção”, disse o gestor do Núcleo Técnico da Famato Guto Zanata.

De acordo com o presidente do Indea Guilherme Nolasco, Mato Grosso está dividido em 13 unidades regionais do Indea, alcançando os 141 municípios, com mais de 104 mil propriedades inscritas.

Nolasco disse que o Indea acompanhou a vacinação em 3.242 propriedades, que corresponde a 3,11% das fazendas com um total de 1.068.117 bovídeos que tiveram imunização realizada e fiscalizada por servidores do órgão. “Me orgulho desses números, isso demonstra o comprometimento dos nossos servidores”.

Na oportunidade, o secretário de Desenvolvimento econômico (Sedec) Seneri Paludo anunciou o aumento do orçamento do Indea para 2016. “Esse ano o Indea vai ter um orçamento de R$ 20 milhões, ou seja, está mais que dobrando o de 2015, e isso é reflexo do empenho e do reconhecimento do governo do Estado com um setor importantíssimo que é o de defesa agropecuária. Entendemos que o setor é fundamental para manter a sustentabilidade da economia de Mato Grosso”, afirmou.

Paludo ainda destacou que a cadeia produtiva da bovinocultura do Estado ganha um novo incentivo com a criação do Instituto Mato-grossense de Carne (Imac), elaborado pela Sedec em parceria com o setor produtivo. O projeto foi encaminhado pelo governo para a Assembleia Legislativa que aprovou a iniciativa. “O Instituto vai ampliar a participação da produção estadual de gado de corte no mercado. Mato Grosso vai ter a sua própria marca”, apontou.

Para o superintendente Federal de Agricultura de Mato Grosso José de Assis Guaresqui o trabalho realizado pelo Indea e pelos órgãos, assim como a Famato, que estão comprometidos com o setor, possibilitou o desenvolvimento e a expansão da bovinocultura. “Isso nos possibilitou a abertura de novos mercados e com isso já estamos estudando a possibilidade de abertura de novas plantas nos municípios do Estado”.

Segundo Guaresqui, a produção de rebanho está sendo ampliada por meio de tecnologias, manejos adequados que melhoram a cada dia e com isso o mercado nacional e internacional se abre para Mato Grosso. Quem está no mercado também reconhece esse avanço e demonstra interesse em abrir novas plantas e reabrir as que estavam fechadas.   

 Por Ascom Famato
Compartilhar no Google Plus
    Comentar com o Site
    Comentar com o Facebook

0 comentários :

Postar um comentário

Comentários são de responsabilidade se seus autores

Copyright © Roteiro Notícias - Guarantã do Norte e Região
Rua Natal, 550 – Jardim Vitória – Guarantã do Norte - MT
Email: celioroteiro2009@hotmail.com - Fone: (66) 9604 - 2681
Todo material deste site pode ser reproduzido ou editado desde que citada a fonte: Roteiro Notícias
WEBSITE DESENVOLVIDO POR:

Tenha um site!